Imbassahy pede para sair do governo e Temer aceita



   

O ministro da articulação política, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), pediu para deixar o governo Temer, nesta sexta-feira (8). O pedido de exoneração foi aceito pelo presidente.

De acordo com o blog da Andréia Sadi, na carta que oficializa o pedido, o baiano diz que vai continuar contribuindo com a gestão Temer na Câmara. Ele reassumirá o mandato de deputado federal.

“Fazer parte do seu governo foi, para mim, uma honra. Atuar na articulação política em um período de radicalização pós-impeachment, com uma grande fragmentação partidária, em meio a enormes dificuldades econômicas e fiscais, representou um grande desafio”, escreveu Imbassahy na carta.

Leia a carta na íntegra:

Brasília, 8 de dezembro de 2017

Senhor Presidente,

Fazer parte do seu governo foi, para mim, uma honra. Atuar na articulação política em um período de radicalização pós-impeachment, com uma grande fragmentação partidária, em meio a enormes dificuldades econômicas e fiscais, representou um grande desafio.
Sob extraordinárias turbulências políticas, foram enviadas ao Congresso Nacional proposições relevantes e transformadoras para o país, a exemplo da nova Lei Trabalhista e da reforma do Ensino Médio. Levadas ao voto, todas aprovadas.
Agora precisamos novamente do apoio do Congresso para avançar com a reforma da Previdência, garantindo sustentabilidade ao sistema em benefício das próximas gerações. 
Trabalhei sempre com o foco em manter a estabilidade política do país, por acreditar que, sem ela, avanços necessários não são possíveis, e com a esperança de estar contribuindo para um futuro melhor para os brasileiros. 
Não há dúvidas de que o país tem trilhado momentos decisivos. A economia saiu da mais profunda recessão. A democracia brasileira se fortaleceu. Executivo e Parlamento governam juntos em razão da sua capacidade de liderança, de diálogo, de temperança e da coragem em fazer o que precisa ser feito. 
Tenacidade e obstinação não lhe faltaram. Driblou crises e dificuldades, sempre valorizando e robustecendo as nossas instituições.
Presidente, assisti também a momentos de sofrimento por ataques virulentos que recebeu e a sua implacável resistência sempre pensando no melhor para o país. 
O Brasil saiu do atoleiro no qual se encontrava e não parou. Pelo contrário, estamos seguindo em frente, embora ainda muito esteja por ser feito. 
Agora, senhor Presidente, novas circunstâncias se impõem no horizonte. Agradeço ao meu partido, o PSDB, que entendeu que, após trabalhar pelo impeachment, e por coerência com a sua história, não poderia se omitir nesse processo de recuperação do país. Decidiu apoiar o seu governo sem contrapartida alguma, além de um compromisso programático que Vossa Excelência vem rigorosamente cumprindo.
Agradeço também aos colegas do Ministério, deputados, senadores, a toda equipe de governo e a minha família pelo acolhimento, compartilhamento e compreensão das nossas tarefas.
Peço que aceite a minha exoneração na certeza de que continuarei a contribuir com o nosso país na Câmara dos Deputados, onde tive a honra de ser levado pelos brasileiros da Bahia.
Expresso meu sincero e profundo agradecimento pela confiança, pela suavidade no trato, respeito e cordialidade que sempre dispensou a mim.

Afetuosamente,

Antonio Imbassahy

A saída de Imbassahy do governo vinha sendo ventilada desde que o PSDB iniciou o movimento de deixar a base aliada.