Judas: Quem da oposição votou no grupo aliado de Mayra Brito



   

vereadoresO que aconteceu com a eleição da presidência da Câmara de Vereadores do Prado? A escolha dos representantes da Mesa Diretora foi realizada por meio do voto secreto. Duas chapas disputaram o comando do legislativo pradense.

Brênio Pires (presidente), Robertinho (vice), Luciana da Lookgás (1ª secretária) e Odilei da Saúde (2º secretário) de um lado. Do outro, Jorginho do Guarani (presidente), Robério Barros (vice), Anderson Duarte (1º Secretário) e José Hilton (2º Secretário).

Na prática o embate representou os interesses do grupo de oposição – eleito com Gilvan Produções – contra os aliados ao governo da prefeita Mayra Brito, liderados por Wilsinho Brito. O grupo da prefeita venceu com Jorginho presidente por 6 votos favoráveis e 5 contrários. A oposição caiu do cavalo.

Numa conta rápida, dos 11 (onze) vereadores, 8 (oito) estavam disputando as duas chapas, de modo que 3 (três) ficaram de fora. É muito improvável que algum dos membros dessas duas chapas votasse contra si mesmo, logo causou curiosidade quem teria sido o voto a garantir a vitória dos aliados da prefeita reeleita.

De fora das duas chapas ficaram os vereadores: Augusto Barreto, Professor Boloca e Professora Bruna. O vereador Augusto integra a base de apoio à Mayra Brito, os outros dois foram eleitos no grupo de oposição. De quem pode ter sido o voto da vitória de Jorginho do Guarani? Boloca ou Bruna?

Professor Boloca falou pela primeira vez como vereador e manteve o tom combativo ao governo da prefeita. Nessa análise especulativa, pode ter sido o voto de Professora Bruna a peça fundamental para a vitória do grupo aliado à Mayra Brito.

Se isto de fato ocorreu seria o início de uma mudança no posicionamento do mandato anterior, marcado por duras críticas ao governo da prefeita do Prado. Isto não seria impossível, visto que Professora Bruna foi eleita com a menor votação dos vereadores eleitos em 2016. A única do grupo de oposição a se reeleger. De quebra, por trás de tudo, ainda pode estar o incidente envolvendo a pré-candidatura de César Donizetti e Gilvan Produções. Após desistir da disputa eleitoral, o empresário manifestou apoio para a vereadora ser candidata do grupo da oposição, o que não aconteceu.

Fonte: Primeiro Jornal